Dúvidas frequentes

EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

1) O ultrassom de mamas substitui a mamografia?

Não, cada um tem as suas indicações precisas. Para mamas com prótese, o ideal é que seja feito uma ultrassonografia e uma ressonância magnética.



2) Em qual período se faz o 3D/ 4D?
O ultrassom com 3D/4D pode ser feito em qualquer período da gestação até a 32a semana. Mas, para visualizar o rosto do bebê, o melhor é fazê-lo entre a 28a e a 32a semana gestacional. Caso



3) O exame transvaginal pode prejudicar o feto na gravidez?
Não, até hoje não existe na literatura médica qualquer indício nesse sentido.


4) O feto escuta algum barulho ou conversa?
Sim, principalmente ruídos a partir do 3° trimestre.


5) O que é exame de Doppler em ginecologia e obstetrícia?
É um exame ultrassonográfico dos vasos fetais e da pelve feminina que nos trás muitas informações em obstetrícia como, por exemplo, se a placenta está nutrindo adequadamente o feto. Em ginecologia, o Doppler é mais usado nos casos de tumores, diferenciando, de certa forma, os malignos dos benignos.


6) Qual a diferença entre o ultrassom obstétrico e o morfológico?
O ultrassom morfológico é um ultrassom obstétrico realizado numa idade gestacional determinada (entre 20 e 24 semanas) que nos permite uma melhor avaliação dos órgãos e estruturas do feto.

7) Se eu puder fazer apenas um exame de ultrassom durante minha gravidez, qual a melhor época para fazê-lo?
Neste caso, o melhor é fazer o exame de ultrassom entre a 19a e a 24a semana gestacional.

8) A partir de qual semana gestacional é possível visualizar o sexo do bebê?
É possível identificar o sexo do bebê a partir da 12a semana gestacional, mas o ideal mesmo é na 19a semana.

9) Quais são as épocas convenientes para cada tipo de ultassom realizado durante a gravidez?
-Ultrassom diagnóstico:
Entre a 6ª e a 9ª semana gestacional (neste período, o exame é via endovaginal)
-Análise de risco (translucência nucal):
Entre a 11ª e a 13ª semana gestacional
- 3D/ 4D
-Morfológico:
Entre a 20ª e a 24ª semana gestacional
-Eco-cardiograma fetal:
Entre a 24ª e a 28ª semana gestacional
-Perfil do biofísico fetal:
Entre a 31ª e a 35ª semana gestacional
- 3D/ 4D:Entre a 28ª e a 32ª semana gestacional
OBS.: O sexo do bebê pode ser visualizado a partir de 12 semanas de gestação, porém com moderada limitação técnica, isto é, muitas vezes é impossível afirmar com precisão à essa época. A época ideal é a partir das 22 semanas e vai depender da posição do bebê no momento do exame, podendo ter que adiá-lo se necessário.




EM MEDICINA INTERNA



1) Todo mundo tem tireóide?
Sim, tireóide é o nome de uma glândula que temos no pescoço, muito importante para o funcionamento normal do organismo. Ela produz hormônios que atuam nas células, ativando seu funcionamento.



2) O que é cisto e nódulo?

Nódulo é um termo genérico usado em patologia médica para indicar uma alteração focal em um órgão, algo que se destaca em meio ao seu parênquima. Sua constituição pode variar podendo ser sólido, líquido ou misto. Quando completamente líquido, apenas circundado por uma parede sólida, é chamado de cisto. A grande maioria dos nódulos tireoidianos é benigna, mas existem alguns poucos malignos ou seja cancerosos. Os nódulos cancerosos, quando descobertos precocemente, são curáveis por cirurgia, a qual pode ser associada à ablação com iodo radiativo. Por isso é importante caracterizar bem o tipo de nódulo. O ultrassom pode sugerir este diagnóstico através de algumas caracteristicas, mas isto, infelizmente, não costuma ser suficiente. Por isso, usualmente, os médicos pedem que se aspire algumas células do nódulo com agulha fina, procedimento este conhecido por PAAF - punção aspirativa com agulha fina. Esta punção pode ser realizada com ou sem o auxílio da ultrassonografia. O material aspirado será analisado por médico especializado em citologia.



3) O que é tireoidite?

O sufixo -ite indica inflamação. Tireoidite quer dizer "inflamação na tireóide". Existe mais de um tipo. A mais comum é a tireoidite linfocítica crônica de Hashimoto (nome do médico que a descreveu pela primeira vez). É uma inflamação crônica, geralmente assintomática ou que raramente produz sintomas leves como dor cervical. É muito frequente, chegando a acometer 10% das pessoas. É produzida por anticorpos produzidos pelo sistema imunológico. Não se sabe a causa desta disfunção e também não há uma cura para ela. A principal consequência é o mal funcionamento da glândula, tanto podendo ser o hipotireoidismo (redução da produção dos hormônios tireoidianos) quanto o hipertireoidismo (ou seja, a produção excessiva desses hormônios). Ambos são danosos ao organismo, mas podem ser corrigidos por medicação sob orientação do médico clínico ou endocrinologista. Geralmente não há necessidade de cirurgia para tratamento da tireoidite crônica. Outro tipo de tireoidite é a subaguda, a qual é muito dolorosa, mas auto-limitada, terminando espontaneamente em algumas semanas.



4) Qual a localização da tireóide?

A tireóide situa-se na porção inferior e anterior do pescoço, em frente à traquéia (tubo que leva ar para o pulmão). Para fazer o exame de ultrassom, é necessário que a(o) paciente deite-se de costas com o pescoço bem esticado. A sonda ultrassônica será aplicada sobre a glândula, produzindo imagens de alta definição da tireóide.



5) Pelo ultrassom dá para saber se o nódulo é maligno ou benigno?

Como já foi dito, o ultrassom pode sugerir a natureza do nódulo, mas infelizmente, ocorrem casos em que o nódulo tem aspecto falsamente benigno. Para se afastar a possibilidade de câncer, usualmente é realizada a PAAF. Casos muito suspeitos devem ser levados a cirurgia com retirada de todo o nódulo para estudo anatomopatológico.



6) Como é feita a biópsia?
O paciente deita-se de costas, sendo o pescoço apoiado por um travesseiro, de forma a esticá-lo. Em seguida, o pescoço é cuidadosamente limpo com antisséptico. Localiza-se o nódulo com ultrassom e anestesia-se a pele acima do mesmo. A agulha fina é introduzida sob visão ultrassonoscópica, realizando-se diversos movimentos curtos de vai e vem dentro do nódulo, com ou sem leve aspiração com seringa. A agulha é retirada e o material aspergido sobre lâminas de vidro que serão colocadas em frascos com álcool. Algumas serão mantidas secas. Todo este material é entregue ao paciente que o levará ao laboratório de citologia e anatomia patológica (em Ponte Nova, sugerimos o Laboratório 'Patologia Prevenção e Diagnóstico' - Rua Dr. Otávio Soares, 41 - sala 127 - em Palmeiras - tel: 31 3817-4250 - mas há outros). A PAAF guiada porultrassom é um procedimento simples, rápido e produz muito pouco incômodo.


Postar um comentário

Este campo é reservado a comentários destinados à clínica S.E.U.

  © * Para SEU ULTRASSOM - por Fábrica de Designs 2011

De volta ao TOPO DA PÁGINA